O site Collegezoom indicou várias postagens do Redafácil a seus visitantes. Veja a lista clicando no link "Site Collegezoom", logo abaixo, à direita da tela (na direção da sua esquerda).
Grato ao Collegezoom por esta honra.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

A Retórica Argumentativa Numa Redação

Considerada como "a arte de falar bem",
a retórica também é a arte de escrever bem. 
A retórica é,
ao mesmo tempo, 
A arte de falar bem
e de escrever bem.



A retórica surgiu por volta do século V a.C. na Sicília e foi introduzida em Atenas, na Grécia, por Górgias (485 a.C.-380 a.C.), um filósofo grego que, com Pitágoras, formou os primeiros sofistas. Antigamente chamava-se "sofista" a alguém que tivesse profundo conhecimento sobre uma profissão ou uma atividade em particular. Com o passar do tempo, esse conceito foi modificado, passando a ser chamado de "sofista" uma pessoa que demonstra sabedoria geral e, em particular, a sabedoria relacionada às ciências humanas e ciências relacionadas a estas, tais como política, ética, economia, etc. 
Durante muitos séculos a retórica, antes considerada como "a arte de falar bem", mas a partir da Idade Média também passou a ser considerada necessária para treinar oradores e escritores. Atualmente a retórica ainda é um importante recurso para embasar uma argumentação numa redação. É importante que estudantes de ensino médio aprendam a utilizá-la já nas redações escolares porque, quanto antes aprenderem a lidar com ela, maiores serão suas chances de aprender a argumentar em suas redações. 
Nas redações escolares, a retórica argumentativa é de grande importância para o aluno que queira apresentar suas ideias de forma coerente e convincente. A retórica surgiu a partir de uma necessidade natural que os seres humanos tem desde muito cedo, de tentar convencer outros seres humanos com alguma finalidade. Observe que as crianças utilizam muito esse recurso para que seus desejos sejam atendidos ou para pelo menos serem ouvidas pelos adultos. Na vida adulta, frequentemente exprimimos nossos desejos, nossas avaliações, nossas críticas, nossos julgamentos, etc. Muitas pessoas dizem que não devemos julgar as outras, mas todos frequentemente julgamos. O importante, neste caso, é lembrar que "julgar" não significa "condenar", significa avaliar uma pessoa ou uma situação para condená-la ou apoiá-la.
A argumentatividade se faz necessária em quase todos os tipos de redação. Nas redações, as retóricas costumam ser, em sua maioria, narrativas ou descritivas. Isto faz com que a argumentação assuma condições constituintes da linguagem. A retórica argumentativa orienta o leitor quanto à conclusão, sendo, portanto, fundamental numa tese ou na tentativa de justificar uma opinião ou uma ideologia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!

Estudar não é apenas se preparar para provas.

"O Enem já está próximo. O que faço a partir de agora?" Frequentemente a estudantes fazendo perguntas como esta. Nos prog...