Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

O que são "recursos linguísticos"?

Há vários recursos linguísticos, 
mas é necessário
saber escolher
os mais adequados. 


Para isto, é muito importante que quem faz uma redação saiba o que é um recurso linguístico. Esses recursos são elementos diferentes tipos e gêneros textuais, mas é necessário ter o cuidado de observar a escolha mais adequada para o tipo de redação, o tema que será abordado e as ideias que o autor pretende propor. Escrever bem exige muito exercício, desenvolvimento de técnica e muita dedicação. Comete um grave engano quem pensa que, num concurso público, por exemplo, o nível de redação é menos importante do que a demonstração do conhecimento do cargo ao qual concorre. Neste caso, a redação, como acontece no vestibular e no Exame Nacional de Ensino Médio, tem o objetivo de revelar o grau de comunicabilidade do candidato. O melhor nível possível de comunicabilidade é fundamental para o desempenho de qualquer função no exercício de um emprego o mesmo de trabalho por conta própria. 
Para comprovar seu grau de comunicabilidade, tanto o participante do Enem como o de um vestibular ou concurso público precisam revelar domínio de recursos linguísticos. Redigir um texto de forma correta e ao mesmo tempo clara e objetiva é indispensável para o sucesso nas provas e na vida. Em primeiro lugar é preciso lembrar que "texto objetivo" não é o mesmo que "texto curto. Uma redação objetiva é uma redação que apresenta ideias de forma clara, concisa, bem definida. 
Uma coisa é certa: a dificuldade para escrever vem principalmente da falta de hábito da leitura. Quem lê pouco sempre escreverá mal. Bons escritores são sempre bons leitores porque, para escreverem bem, sempre leem muito. Se você acha que lê muito mas tem dificuldades em redação, é porque você não lê tanto quanto diz ou pensa que lê. Ler não é uma questão de apenas "gostar de ler", é um hábito muito necessário para todas as pessoas. Quem lê pouco, lê mal e escreve ainda pior. Não se aprendem recursos linguísticos através de um curso ou de uma disciplina exclusiva. Na disciplina "Língua Portuguesa", aprendem-se regras gramaticais, ortografia, etc., mas os recursos linguísticos são adquiridos e desenvolvidos através da convivência e da comunicação  com outras pessoas, de muita leitura e e também da preservação do hábito de escrever sempre que for possível. Por outro lado, em sala de aula, o professor tem a obrigação de pelo menos orientar os alunos sobre como escolher os recursos linguísticos mais adequados para determinadas ocasiões. Se o professor não faz isto, o aluno deve exigir que ele o faça.
Entre os muitos recursos existentes, há, por exemplo, a inclusividade. É uma técnica utilizada para distinguir pronomes pela qual a primeira pessoa do plural, "nós", apresenta duas formas: a inclusiva (eu e você; eu e vocês) e a exclusiva, na qual a pessoa que fala se insere mas exclui alguém. Para explicar isto de uma maneira mais fácil, digamos que a inclusiva seja "nós" e a exclusiva seja "nós outros". 
Há também o registro linguístico. É um tipo de linguagem seletiva para adaptar uma expressão a um determinado grupo de pessoas ou a uma determinada situação. Neste caso é preciso ter o cuidado de fazer as escolhas léxicas e sintáticas corretas dentro do tom de do grau de linguagem mais adequados, pessoal e principalmente formalmente. Na redação, a distinção entre a linguagem formal e a informal é fundamental para se obter uma boa avaliação numa prova - e na vida. Para entender melhor a necessidade de um bom nível de conhecimento desses recursos, leia aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!