Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

"Entender" e "Compreender"

Para fazer
uma boa redação,
é preciso entender
o que é uma 
interpretação de texto.
A avaliação de uma interpretação de texto não revela apenas a condição de uma pessoa entender o que lê. A dificuldade em interpretar um texto está relacionada à dificuldade em produzir - ou redigir - um texto. Quem tem dificuldade em entender o que lê também tem dificuldade em expressar o que escreve. "Interpretação" é o estabelecimento de comunicação entre duas ou mais pessoas. Quando o assunto é "interpretação de texto", trata-se do estabelecimento de comunicação através da escrita. Há situações em que o aluno não consegue obter uma boa nota em interpretação de texto por ter dificuldade em entender o que lê. Por outro lado, qualquer leitor terá dificuldade em interpretar um texto se este for escrito por quem tem dificuldade em se expressar através da redação. Entretanto, na maioria dos casos, a dificuldade de interpretação de texto vem do desconhecimento dos significados de muitas palavras, termos ou expressões ou da incapacidade de entender o contexto em que eles foram empregados.
O intérprete é a pessoa que interpreta. No caso de uma música, o intérprete é o cantor. Num filme, o intérprete de um personagem é um ator. Assim como o ator precisa entender o personagem para melhor interpretá-lo, o mesmo tem que ocorrer com o cantor ou a cantora em relação à música a ser cantada. No caso de um texto, seu intérprete é a pessoa que o lê. O problema é que, numa prova, quando o aluno escreve uma redação, ele se preocupa mais com o que ele quer escrever do que com a forma como as pessoas que a lerão poderão interpretá-la. Vem daí as necessidades da escrita ser a mais correta possível gramaticalmente e ortograficamente, da pontuação correta, da paragrafação correta, etc. Tudo isto é necessário para facilitar a interpretação de quem lerá.
Estou me referindo às condições de compreensão e de entendimento do texto de uma redação. Digo "compreensão e entendimento" porque muitos dicionários apresentam "compreensão" e "entendimento" como duas palavras com o mesmo significado. Isto não é incorreto, mas também não é tão simples assim. "Entender" é captar ou perceber uma ideia ou uma intenção de outra(s) pessoa(s). "Compreender" é processar corretamente o ato de entender. Ou seja: a compreensão não é o entendimento, é o processamento de raciocínio que resulta no entendimento. O contrário disto é a incompreensão, que leva ao desentendimento. 
A compreensão inclui o entendimento e a assimilação. Juntos, o entendimento e a assimilação levam à interpretação. Numa prova como o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), num vestibular ou num concurso público, quem não quiser ser reprovado por causa de uma redação precisará entender e compreender isto muito bem. A pessoa que atribuirá pontos à redação será alguém que terá que interpretá-la. Para a redação ser interpretada corretamente, caberá ao seu autor a obrigação de fornecer no texto todas as condições necessárias a isto. Muitas dessas condições estão expostas em todos os artigos publicados no Redafácil. 

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A Redação no Enem em 2017

O que será exigido
na prova de redação 
no Enem este ano?


O Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) deste ano será realizado nos dias 5 e 12 de novembro. Como acontece em todos os anos, a aproximação das datas das provas faz aumentar a preocupação de seus participantes quanto ao que será exigido em relação às redações. O mais importante é estar atento quanto aos temas que são possíveis: os principais assuntos relacionados à política, a problemas sociais, etc., e que estão em evidência na mídia. Portanto, neste caso, meu conselho é o de sempre: assistam aos telenoticiários, leiam jornais impressos e online, revistas atualizadas, etc., tanto quanto puderem. Assistam  pela televisão e ouçam pelo rádio também reportagens, entrevistas e debates sobre todos os assuntos.
Quanto à forma como você deve redigir seu texto na prova, o mais importante é você saber que ele tem que ser dissertativoargumentativo e tão corretamente escrito quanto o autor da redação puder conseguir. Quando dizem que "o mais importante é que se entenda o que o aluno quis dizer", é ainda mais importante lembrar que é exatamente por isto que uma redação muito bem feita é necessária. "Redação muito bem feita" é redação com palavras ortograficamente corretas, bem adequadas ao contexto, paragrafação muito bem elaborada, etc.
O principal objetivo das redações no Enem é fazer com que os estudantes demonstrem sua capacidade de domínio sobre a escrita formal. Isto requer domínio sobre linguagem culta e linguagem coloquial. Eles terão que demonstrar também que compreendem a proposta de redação - isto é, o tema sugerido ou exigido - e por isto eu digo que é preciso que frequentemente leiam jornais, revistas, assistam a reportagens televisivas, etc. Isto é necessário para que eles sejam capazes de organizar, selecionar e interpretar corretamente as informações e os fatos e criar fundamentos para seus argumentos. Para ler mais "dicas" sobre isto, clique aqui

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

"Lei", "Ordem", "Regra" e "Norma"

Essas três palavras
costumam ser usadas
como se tivessem
o mesmo significado.
Será que isto é correto?


Numa redação, como em qualquer momento na vida, é preciso termos cuidado com as palavras que usamos. Não são raros os momentos em que nos deparamos com palavras diferentes que têm mesmo significados ou que muitas pessoas as usam como se tivessem o mesmo significado. Para evitarmos interpretações equivocadas sobre o que queremos dizer ou informar, temos que ter muito cuidado quanto a isto. "Lei", "ordem", "regra" e "norma" costumam ser interpretadas como se fossem palavras com o mesmo significado: algo que somos obrigados a cumprir ou obedecer.
Uma lei não é uma regra, é algo criado para estabelecer regras. Também não é uma norma, é algo que inclui várias normas. As normas são razões ou motivos para a obrigatoriedade de um ato. Elas são expressas através de ordens ou de permissões. Uma ordem é uma determinação, uma obrigatoriedade estabelecida por uma autoridade judicial ou hierárquica. Uma permissão é uma autorização legal ou uma concessão.
Quando se diz que toda regra tem exceção, a palavra "regra" assume o significado de "maioria". Não se deve confundir isto com "generalização". A generalização inclui o todo, sem admitir uma exceção. A regra é um princípio usado como padrão para o estabelecimento de uma norma, de disciplina comportamental e, portanto, de ordens. Neste caso, a palavra "ordem" passa a ser interpretada como "organização" ou o conjunto de elementos que visam estabelecer uma organização. Portanto, "ordenar" significa "mandar", mas pode também significar "colocar em ordem", "organizar". Conclui-se, desta forma, que as quatro palavras não têm o mesmo significado, mas cada uma delas tem um ou mais significados que, direita ou indiretamente, estão relacionados aos significados das outras três. No entanto, isto pode ser resumido da seguinte forma:
  • Lei: estabelecimento de normas.
  • Norma: estabelecimento de regras.
  • Regra: estabelecimento de disciplina ou padrão.
  • Ordem: determinação, mandado.