sexta-feira, 30 de setembro de 2016

"Escutar" e "Auscutar"

Talvez a semelhança
entre as duas palavras
tenha sido a causa
da confusão.

Lendo uma redação de uma estudante, percebi que ela usou a palavra "auscutar" dando-lhe o mesmo sentido de "ouvir". Numa prova, ela teria perdido pontos por usar a palavra com significado equivocado, embora tenha sido louvável sua tentativa em mostrar que sabe da existência de palavras pouco usadas em nosso dia-a-dia. Penso também na possibilidade dela ter feito isto para que eu fizesse tal observação e lhe ensinasse o significado correto, pois é uma palavra muito usada na medicina e em alguns casos jurídicos.
Toda redação deve ser feita com o uso de linguagem mais adequada para seu objetivo. No Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) ou num vestibular, a redação não deve ser informal nem formal demais. Entretanto, a demonstração do conhecimento sobre algumas palavras e expressões que não fazem parte do seu dia-a-dia mas começam a surgir com certa constância na mídia indicam que você está tentando acompanhar atentamente os novos fatos. Isto é muito importante.
A palavra auscutar tem sido muito empregada ultimamente em debates e entrevistahentrevistas sobre corrupção. Porém, talvez por ser muito parecida com escutar - quanto à pronúncia e à escrita - algumas pessoas confundem seus significados com os desta. Em primeiro lugar, saiba que escutar não é o mesmo que ouvir. Escutar é estar consciente do que está ouvindo, ouvir com a mais plena atenção, levar em consideração conselhos e sugestões.
Auscutar significa investigar algo com profundidade e da maneira mais apropriada possível para evitar erros de interpretação. Quando dizemos que o médico auscutou o paciente, estamos dizendo que o médico fez o exame mais detalhado possível para chegar a um diagnóstico correto. Na maioria dos casos a o verbo representa o ato de escutar os sons vindos de um órgão (por exemplo,  o coração) do paciente com a devida atenção durante a atividade médica. Em termos jurídicos, o verbo auscultar significa analisar corretamente os casos para que sejam evitados possíveis erros.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Um Erro Muito Frequente em Redações

Uma frase
não constitui
um parágrafo.


Não são apenas os estudantes que cometem este erro. Ele ocorre com muita frequência em matérias jornalísticas. Refiro-me aos parágrafos com apenas uma ou duas frases.

Tenho lido redações escritas da seguinte forma:


O presidente  viajou à China.

Ele  retornará ao Brasil  na próxima semana.

Um parágrafo encerra uma ideia, uma informação. Uma frase também. Entretanto, a informação contida num parágrafo é resultante de uma sequência de frases que se complementam. Este parágrafo mesmo é um exemplo do que digo. Portanto, um parágrafo não pode conter apenas uma frase.

Assim como cada frase de um parágrafo é uma complementação à anterior, o mesmo ocorre quanto aos próprios parágrafos. O primeiro é uma introdução, os seguintes constituem o desenvolvimento do texto e o último é a conclusão. Nenhum deles pode ser constituído por apenas uma ou duas frases.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A Importância da Sociologia para uma Boa Redação

A ideia
de permitir que o aluno
escolha as disciplinas
é péssima.


Alguns estudantes de ensino médio  do Brasil gostaram da ideia que surgiu no estado de São Paulo: permitir que os alunos escolham as disciplinas que preferirem. Num sistema de ensino que nacionalmente é um dos piores do mundo, esta é uma das piores ideias já surgidas. Muitos dos estudantes pensam que poderão escolher as matérias que terão mais a ver com as profissões que escolherão. O que eles precisam saber é que todas as matérias têm muito a ver com o que eles terão que fazer na vida, inclusive por razões profissionais. É preciso levar em conta uma realidade importantíssima que diz respeito a todos nós: a globalização .
Não adianta ser contra a globalização porque ela não acontece apenas porque alguém a quer. Ela é um inevitável processo resultante de fatos históricos milenares, mas se aprofundou principalmente a partir do século XIV, quando as nações europeias obtiveram avanços importantes no comércio Internacional graças às grandes viagens marítimas intercontinentais. Desde o final do século XX e principalmente a partir do início do século XXI, a globalização tem se tornado um profundo processo de integração econômica, social, cultural e política, e você, caro(a) estudante, já está envolvido(a) nesse processo desde quando você nasceu. A globalização abrange três aspectos básicos: facilidade de viagens internacionais, queda de barreiras tarifárias através de organizações entre países (blocos econômicos) e movimentos de capital e de investimentos. Isto provoca o desenvolvimento do item mais importante: o conhecimento. Em resumo: quanto mais conhecimento você adquirir desde já, melhor será para você futuramente. Por isto, no ensino médio e em qualquer outro nível de ensino, literalmente todas as disciplinas são e serão cada vez mais indispensáveis para todos os alunos
Até mesmo para conseguir realizar uma redação merecedora de uma boa nota no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), é preciso uma boa noção de todas as disciplinas. Filosofia, por exemplo, é uma delas. Para desenvolver o raciocínio no texto, é necessário recorrer à lógica, que é uma das áreas da filosofia. Leia o artigo anterior para saber um pouco mais sobre isto. 
Outra disciplina muito importante para a produção de uma boa redação é a sociologia. Ela se refere ao comportamento das pessoas e os processos pelos quais elas se relacionam através de grupos, associações, etc. Até este ponto, parece-se um pouco com a filosofia. A principal diferença é que na sociologia os fenômenos sociais são explicados enquanto as pessoas são analisadas quanto às suas relações de interdependência (como pessoas dependentes umas das outras). No ensino médio, um objetivo da sociologia é, entre outros, fazer você entender como e por que você depende das pessoas com quem você convive e como e por que cada uma delas depende de você e de todas as outras. Esta é a razão pela qual os temas para redação no Enem e nos vestibulares são sempre relacionados a direitos humanos, economia, política, diferenças de classes sociais, etc. Na verdade, todas as pessoas precisam estar sempre bem informadas sobre eles.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A Filosofia no Desenvolvimento de uma Redação

A lógica
é uma área da filosofia
importante para a argumentação.


O Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) está próximo. Ocorrerá em novembro. Como sempre, a redação que cada participante terá que fazer será dissertativa. Terá que demonstrar estar bem informado sobre o tema a ser proposto. Também terá que escrever corretamente para que seu texto seja bem compreendido. Tudo isto tem muito a ver com a filosofia. 
Isto não significa que para fazer uma boa redação é preciso ser um filósofo. Significa que o conhecimento de noções básicas de filosofia ajuda muito no desenvolvimento de uma excelente redação. A filosofia é um estudo de problemas fundamentais relacionados a tudo que existe; portanto, é importante para obtenção de conhecimento. A filosofia também analisa problemas relacionados aos fundamentos da verdade, do pensamento e da linguagem, e estes são os elementos principais que devem ser destacados numa redação: ele precisa comprovar sua verdade com argumentos bem fundamentados através de uma linguagem escrita sucinta e correta. Para isto ele precisa usar a lógica. 
A lógica é uma área da filosofia que permite o desenvolvimento de uma linha de raciocínio em alguma atividade ou no decorrer da exposição de um assunto ou tema. Numa redação, é a base do desenvolvimento do raciocínio revelado na escrita. Enquanto escreve, o aluno desenvolve sua argumentação usando um dos princípios fundamentais da filosofia sem o perceber. Se conhecê-lo um pouco melhor, fará uma redação bem melhor. Para isto, sugiro que leia mais artigos sobre filosofia no Ciência & Vida.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Ressaltando a Importância da Ortografia Correta

As formas
como você escreve as palavras
revelam muito
sobre você.

Nas postagens anteriores, tenho me referido à importância da ortografia correta, mas destaquei também a Importância da escolha das palavras mais adequadas, da estrutura da frase e da pontuação correta. Nesta postagem, volto a destacar a Importância dos cuidados quanto à ortografia porque tudo isto se refere à formulação de pensamentos. Enquanto você redige, você formula pensamentos que precisarão ser interpretados corretamente pela pessoa que lerá a sua redação. Portanto, a pontuação e a ortografia corretas são necessárias
Embora a ortografia seja geralmente interpretada como a forma de escrever as palavras, ela nos traz também a necessidafe dos cuidados com a pontuação. Os pontos (.), as vírgulas (,), etc., precisam estar nos lugares certos, nas posições corretas. Com relação estritamente à ortografia, dois erros são frequentemente cometidos em redações feitas no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e em vestibulares:

- Troca de letras: 
É quando o aluno usa ss ao invés de c, s ao invés de z, etc. Isto comprova que o aluno não consegue visualizar o valor das letras.


- Erros na grafia de palavras cuja ortografia ainda é a mesma desde 1931: 
Isto comprova pouca leitura, necessidade de ler livros, jornais, revistas, etc., com muito mais frequência. Quem lê pouco tem pouca informação.

Os dois exemplos de erros citados acima demonstram que quem os comete são pessoas mal alfabetizadas e com mal domínio da linguagem escrita. No entanto, é tão fácil resolver dúvidas ortográficas: basta pesquisar as palavras num dicionário.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

As Diferenças Entre a Redação e o Texto


"Redigir" não significa apenas "escrever";
significa "escrever correta
e adequadamente".

Dizem que o próprio texto é a redação. Na prática, porém, as diferenças são bem evidentes. Conhecer essas diferenças é muito importante para conseguir fazer uma redação. Sem o texto, a redação não existe. Sem a redação, o texto não tem valor. O texto pode ser qualquer tipo de material escrito, é um conjunto de frases articuladas para serem lidas. Como objeto de estudos, o texto gera teorias  que colocam em nível de igualdade as importâncias do autor e do leitor. É fácil entender a razão disto: o autor escreve para divulgar suas ideias, suas próprias opiniões, fatos, etc., mas esse objetivo só se realizará se o leitor comprreender o que ele quis escrever
Para isto o texto precisa estar de acordo com algumas regras. Tem que ter uma estrutura e elementos com relações estabelecidas entre si. O processo pelo qual essas relações são estabelecidas é o que verdadeiramente se chama redação
Resumindo: o texto é todo o conjunto de palavras, frases e parágrafos que precisam ser colocados em ordem. A redação inclui o texto e sua organização.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

A Escolha das Palavras Adequadas

A escolha correta das palavras
é tão importante
quanto a escolha das palavras corretas.


A ortografia (grafia das palavras) correta é importantíssima. Numa redação, uma palavra escrita de forma errada pode revelar duas coisas: desconhecimento da escrita correta e descuido quanto ao valor das letras e da escrita correta. Ambos são comprovações de pouca leitura e de incapacidade de dominar satisfatoriamente a linguagem escrita. 
Numa redação, a escolha das palavras mais adequadas é tão importante quanto os cuidados quanto à ortografia e às regras gramaticais. A eficácia da comunicação depende muito disto. Num bom dicionário, você pode observar que, para cada palavra, existem várias definições. Você precisa ter o cuidado de observar a definição que estiver mais de acordo com o contexto da redação. Esse contexto precisa ser também analisado sob três aspectos: verbal (quanto à mensagem no texto propriamente dito), situacional (definindo uma situação) e experimental (destacando uma experiência).
Também é muito importante conhecer várias palavras com um mesmo significado. Os dicionários também ajudam muito a encontrar sinônimos (palavras diferentes com significados iguais, como saber e conhecer). Eles ajudam muito a evitar a repetição desnecessária de palavras.
Outros detalhes importantes quanto à palavra escolhida:
- O sentido denotativo ou referencial, que é o seu significado mais próximo do que se quer expressar na redação;
- O sentido conotativo, que é sugerido por associações e vinculado a emoções, conceitos, etc.
O sentido conotativo parece tornar a palavra ligada a uma realidade talvez menos próxima, mas ao mesmo tempo a conotação numa metáfora se torna interessante. Para muitos autores a metáfora está mais relacionada à poesia, mas as metáforas estão sempre na linguagem corrente. É um processo em que as palavras usadas nos fazem lembrar de outras, o que nos ajuda a enriquecer o texto.
Há neste blog outros artigos sobre metáforas. Sugiro que você os leia.

Ilustração: Blog do Enem

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O Contraponto

No Enem,
o contraponto ajuda muito
a obter ótima nota
numa redação.


"Contraponto" é a apresentação ou o uso de duas coisas contrárias de maneira que uma se torne complemento da outra. Na arte musical, o contraponto é a sobreposição de uma nova melodia a outra já composta. Numa redação, é a apresentação de uma opinião ou ideia contrária à do próprio autor do texto.
A palavra contraponto resulta da junção das palavras contra (que não é a favor) e ponto (ponto de vista, opinião ou interpretação pessoal). Significa, portanto, discordância. Numa redação dissertativa, é a comparação entre duas opiniões não totalmente contrárias, mas discordantes em alguns pontos
No Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), em vestibulares e em concursos públicos, o contraponto agrega valor às redações, aumentando possibilidades de ótimas notas. O processo é muito fácil: basta descrever no texto a opinião com a qual você não concorda e rebatê-la. Lembre-se que, neste caso, "rebater" não significa apenas "discordar"; significa discordar apresentando argumentos que comprovem que você está bem informado sobre o tema tratado. Mais uma vez, eis a necessidade de você estar sempre bem informado para obter boas notas em redações.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Leia Mais para Escrever Melhor

Combine com amigos ou colegas de turma
a formação de um grupo de leitura
Pessoas que lêem muito
são sempre as que escrevem melhor.


O conhecimento de gramática é muito importante para a escrita correta, e isto é muito importante para garantir a clareza e a concisão em qualquer redação. Porém, não é o bastante. O hábito da leitura é importantíssimo para preservar e até mesmo melhorar os níveis redacionais. Quem lê mais escreve sempre melhor. 
Isto não ocorre por coincidência. Infelizmente a maioria dos brasileiros não cultiva o hábito da leitura. Portanto não é por acaso que os níveis de redação no Brasil são bem ruins na maioria. Também não se pode dizer que os brasileiros lêem pouco porque os livros são caros. Às vezes grandes obras literárias são vendidas a R$ 5,00 ou pouco mais e, ainda assim, poucas pessoas as adquirem. Bibliotecas públicas disponibilizam livros para as pessoas lerem e pesquisarem gratuitamente e, mesmo assim, poucas pessoas os procuram. O que ocorre na maioria dos casos é mesmo a falta de interesse.
Para você melhorar seu nível de redação, é necessária muita dedicação e um crescente conhecimento linguístico. Isto só é possível por meio de miita leitura. Ela leva você ao contato direto com diversos tipos de textos. Isto lhe permite descobrir diferentes e melhores estilos de redação. Somente através da leitura nos colocamos em contato direto com outros tipos de textos. É isto que nos permite manter contatos com a linguagem escrita e seus registros. É assim que nós descobrimos novas formas de desenvolvimento da nossa própria linguagem escrita através dos nossos próprios textos.
É claro que não estou dizendo que você deve copiar ou adotar estilos de outras pessoas. Estou dizendo que lê-los é algo muito importante para que você renove seu próprio repertório cultural. A diversificação de gêneros literários faz com que você descubra palavras antes desconhecidas e descubra recursos limguisticos que lhe ajudarão a inovar o seu próprio recurso.
Sugiro uma maneira de você mesmo(a) se incentivar e incentivar amigos ou colegas de turma a praticar a leitura pelo menos uma vez por semana. Organizem-se em um grupo de leitura como o da foto. Muitos estudantes costumam fazer isto. O ideal é que o grupo tenha no máximo seis membros.  Um grupo com muitos integrantes sempre causa desatenção. Durante a leitura, cada vez que alguém descobrir uma palavra desconhecida, todo o grupo ajuda a descobrir seu significado. Portanto será importante terem um dicionário para ajudar e cada um anotar a palavra e seu significado. Isto ajuda a nunca mais esquecer o que aprendeu. O grupo também pode discutir o estilo do texto lido, com cada um propondo sugestões a serem adotadas em redações. Os encontros podem ocorrer na residência de um dos participantes, numa biblioteca ou onde o grupo preferir - desde que seja um ambiente ideal para estudos.