Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Verdades e Mentiras Sobre Redações nas Provas

Tenha cuidado 
com as armadilhas
causadas
por informações
mal interpretadas.




Informações mal interpretadas geram a circulação de informações erradas, e estas acabam ganhando uma repercussão enorme como se fossem verdadeiras. É o que vem ocorrendo desde a primeira vez em que foi divulgado que, no Exame Nacional de Ensino Médio, seriam aceitas redações com apenas oito ou onze linhas. A verdade sobre isto é que o estudante pode até fazer uma redação assim, mas obterá nota baixa. As razões são fácies de ser entendidas: é impossível abordar um tema polêmico (geralmente os propostos nas provas são polêmicos) num texto tão curto. A redação precisa ser dissertativa e argumentativa, e é claro que as dissertações e argumentações apresentadas num texto com menos de 20 linhas são insuficientes. Num concurso público, é claro que as redações com mais de 30 linhas, desde que escritas com clareza, de modo que os autores demonstrem conhecer bem o tema e obedecendo às regras gramaticais tão rigorosamente quanto possível, serão as mais valorizadas. Nos vestibulares, ocorrerá a mesma coisa. No Enem também sempre será assim: as melhores notas sempre serão dadas a redações não muito longas nem curtas demais, pela demonstração de conhecimento que elas têm mais possibilidades de conter.
Tenha cuidado quanto ao uso de metáforas. Algumas pessoas dizem que não é permitido usá-las nas redações, mas isto também não é verdade. Porém as metáforas são recursos linguísticos, e isto faz com que seja necessário extremo cuidado ao usá-las. Para saber melhor sobre isto, clique nos links destacados aqui e leia as duas postagens atentamente. Os recursos linguísticos existem para ser usados nas redações como recursos de argumentação. Isto significa que, se você usar metáforas em sua redação, tem que inseri-las corretamente em dois contextos: o do tema e o das suas argumentações.
É verdade que as rasuras (palavras ou frases riscadas ou tentativas de corrigir palavras escrevendo-as novamente por cima) fazem o autor da redação perder pontos. Na maioria dos casos isto torna as palavras ilegíveis ou confusas, o que leva os corretores ou quaisquer outros leitores a possíveis equívocos de interpretação. Além disto, o espaço ocupado pela palavra rasurada é sempre um espaço perdido para a redação.
Tenha o cuidado de não repetir palavras excessivamente. A Língua Portuguesa, como a maioria das demais, têm várias palavras sinônimas (palavras diferentes com mesmos significados). Isto facilita o uso de várias palavras para não usar a mesma muitas vezes. Além de facilitar a leitura de seu texto, essa variação de palavras pode significar acréscimo de pontos para sua redação porque comprova seu nível de conhecimento linguístico. Além disto, lembre-se do mais importante importante: menos de 20 linhas não são suficientes para demonstrar sua capacidade de redigir. Uma redação muito curta comprova pouco conhecimento sobre o tema proposto. Comprova desinformação. Comprova falta de interesse em estar bem informado sobre coisas importantes. Uma redação com 30 linhas, contendo de três a seis parágrafos, já é pelo menos razoável e com boas possibilidades de obtenção de pontos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!