Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

A História e o Grande Exemplo de um Jovem Brasileiro de 17 Anos

A Stanford University, onde Gustavo estudará.
É óbvio 
que ele foi aprovado em outras matérias,
mas o que mais influenciou na aprovação
foi a redação dissertativa.

Enquanto no Brasil alguns "professores" cometem o grave erro de dizer que não deveria haver tanto rigor nas correções de redações no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e nos vestibulares, nos Estados Unidos um jovem brasileiro comprovou que a importância de uma redação extremamente correta facilita muito o sucesso na vida. Por causa de um tipo de redação que nos Estados Unidos é conhecido como "personal statement", ele conseguiu aprovação em cinco das universidades consideradas entre as melhores do mundo: Columbia, Harward, Duke, MIT e Stanford.  Ele optou pela última, e conseguiu sua vitória apenas com o apoio de uma entidade não governamental e sem precisar de "cotas".
Gustavo Torres é um jovem de 17 anos nascido e criado na periferia de São Paulo (SP).  Ele escreveu em inglês seu "personal statement", que nada mais é do que uma redação dissertativa sobre si mesmo. A mesma foi publicada integralmente pela Exame.com. O tema proposto foi:

Some students have a background or story that is so central to their identity that they believe their application would be incomplete without it. If this sounds like you, then please share your story. Word limit: 650.

("Alguns estudantes têm um histórico de experiências que são tão importantes para suas identidades que eles acreditam que sua aplicação seria incompleta sem ele. Se você pensa assim, por favor, compartilhe sua história. Limite de palavras: 650.")

A redação de Gustavo:

I like to compare life to a jigsaw puzzle. We are constantly looking for pieces to complete the inside of our borders, which are the values we define as our guidelines. While looking at my story, I learned that my community, Capão Redondo, had an essential impact on the way I pieced my life’s puzzle together. The adversities I faced in Capão Redondo ultimately inspired the persistence I needed to overcome challenges and define my own values.
During the ‘90s, the UN considered Capão Redondo one of the most dangerous neighborhoods in the world. Although things here have improved, it’s still not a paradise. When I leave home at 5:30am to go to school, I often see men smoking marijuana next to my door. On the street, I have to keep a fast pace to avoid getting mugged. Drug trafficking, poor educational opportunities and, most notably, lack of dreams plague the community and create an environment where bad influences prevail. Surrounded by such an atmosphere, I realized early on that only perseverance would allow me to find the right pieces to expand my puzzle.
In 2010, I was awarded a scholarship to one of the best private schools in São Paulo through ISMART, an NGO that invests in talented young students. The school’s labs, pools and gyms contrasted significantly with the poor infrastructure of my previous school, where the majority of ceilings, desks and windows were broken. Against all odds, I flourished in this newfound environment and in the process, found a new set of puzzle pieces with which to work.
Although this school offered unique academic opportunities, it also provided a new social challenge. I entered a wealthy world, where people traveled abroad during vacations, went to beach houses on the weekends and celebrated parties at expensive venues. I didn’t exactly fit in there. While private chauffeurs drove my peers to school, I faced a two-hour long bus ride every day. As time passed, however, I adapted to that world and learned how to balance the contrasts between the two opposing realities I lived in.
The perseverance I learned from Capão and the opportunities ISMART offered me filled me with courage, drive and goals to succeed in a vastly different context. All of this culminated in one of the greatest experiences I have ever had in my life: participating in a summer program at Yale University. When I first learned about the program, I thought I would never be selected from such a competitive pool of applicants from all around the world. However, a few days later, I decided I couldn’t let such an opportunity slip through my fingers simply because I felt insecure. I applied and was accepted into the program with a full scholarship. After earning this scholarship and excelling in the program, my effort made me realize that there are no boundaries to my potential.
Puzzles are about trying to make sense of the pieces. Similarly, life is a constant effort to find the experiences that fill our existence. Capão placed a set number of pieces in front of me with which I was not satisfied, so I decided to look for more in other places. Studying, discovering new worlds, and achieving what seemed to be improbable were some experiences that broadened my horizons. However, I want to do more than just build my own story; I also want to enable others to do the same. As I continue gathering pieces, I want to share everything I learn and accomplish along the way in order to empower my peers and my community to overcome challenges, expand their borders and thus produce a dazzling picture for society’s puzzle.

"Eu gosto de comparar a vida com o quebra-cabeças do Jigsaw (personagem de filmes americanos que tem o hábito de oferecer às suas vítimas condições para elas mesmas optarem entre a vida e a morte). Nós estamos constantemente buscando peças que completem o interior de nossos limites. Enquanto observava minha própria história, aprendi que minha comunidade, Capão Redondo, teve um impacto essencial na forma como eu via minha vida como como uma parte desse quebra-cabeças. Ultimamente as adversidades que enfrentei em Capão Redondo tem inspirado a persistência que eu necessitei para promover mudanças e definir meus próprios valores. 
Durante a década de 1990, as Nações Unidas consideraram Capão Redondo um dos bairros mais perigosos do mundo. Apesar de ter tido algumas melhorias, ainda não é um paraíso. Enquanto eu saio de casa às cinco e meia da manhã para ir à escola, frequentemente vejo homens fumando maconha perto da porta da minha casa. Na rua, procuro manter a tranquilidade para evitar problemas. Tráfico de drogas, poucas oportunidades educacionais e principalmente a ausência de esperanças invadem a comunidade e propiciam um ambiente onde as más influências prevalecem. Em meio a tal atmosfera, eu me convenci de que somente a perseverança me ajudaria a encontrar as peças certas para completar meu quebra-cabeças.
Em 2010, eu ganhei uma bolsa de estudos para uma das melhores escolas privadas em São Paulo através do ISMART , uma organização não governamental que investe em jovens estudantes talentosos. Os laboratórios, os bancos os ginásios da escola contrastavam muito com a estrutura pobre da minha escola anterior, onde os tetos, a maioria das cadeiras e janelas estavam quebradas. Contra todos os obstáculos, eu evoluí nesse novo ambiente, e nesse processo descobri os novos tipos de peças para o quebra-cabeças com os quais eu podia trabalhar. 
Apesar dessa escola oferecer oportunidades acadêmicas únicas, ela também promoveu uma nova mudança social. Eu ingressei num mundo diferente, onde as pessoas viajavam a outros países durante as férias, iam para casas de praia nos fins de semana e comemoravam coisas com grandes festas. Eu não me enquadrava nisto exatamente. Enquanto motoristas particulares levavam meus colegas à escola, eu enfrentava duas horas de ônibus para ir a ela todos os dias. No entanto, com o passar do tempo eu me adaptei àquele mundo e aprendi a equilibrar os contrastes entre os dois lados opostos em que eu estava vivendo.
A perseverança que aprendi de Capão Redondo e as oportunidades que o ISMART me ofereceu me encheram de coragem, direção e metas que se sucederam num contexto vastamente diferente. Tudo isto resultou numa das maiores experiências que eu já tive em minha vida: a participação num programa de verão na Universidade de Yale. Quando comecei a conhecer o programa, achei que nunca seria selecionado entre tantos estudantes candidatos do mundo inteiro. Mesmo assim, poucos dias depois eu decidi que não poderia deixar aquela oportunidade escapar por causa da minha insegurança. Eu concorri e fui aceito no programa ganhando uma bolsa de estudos total. Além de ganhar a bolsa de estudos e ingressar no programa, meu próprio esforço me fez entender que não há fronteiras para o meu potencial.
O objetivo de um quebra-cabeças é fazer com que as peças ganhem sentido. Semelhantemente a isto, a vida é uma constância de esforços para descobrir experiências que dêem sentido à nossa existência. Capão colocou um certo número de peças diante de mim que não me satisfaziam. Então eu decidi procurar mais peças em outros lugares. Estudar, descobrir novas palavras e alcançar o que parecia ser impossível foram algumas experiências que ampliaram meus próprios horizontes. Mas eu quero fazer mais do que apenas construir minha própria história. Eu quero incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo. Como eu continuo a reunir peças, quero compartilhar tudo que eu aprendi no caminho para incentivar meus colegas e minha comunidade a buscar mudanças, expandir seus limites e assim produzir um quadro deslumbrante para o quebra-cabeças da sociedade."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!