Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

5 - Os tipos de redação

"Estilo" é a maneira que cada pessoa tem para realizar ou fazer alguma coisa. Em redação, considera-se "estilo" a maneira - não necessariamente pessoal - de escrever. Há o estilo publicitário, o jornalístico, o forense, etc. Uma pessoa pode usar diferentes estilos em diferentes situações, mas em geral o estilo é a marca pessoal, é o que distingue um autor em relação aos outros. Entretanto, qualquer que seja o seu estilo, é necessário estar atento quanto à clareza, à concisão e à harmonia. 
A clareza é a qualidade essencial para uma boa forma de expressão. Quem pensa claramente se expressa claramente. Portanto, a clareza é altamente dependente de uma formulação mental. Na redação ela se revela através da escolha de palavras adequadas, da harmonia e da composição.
A harmonia é a composição dos sons das palavras que fazem parte de uma frase. A boa sonoridade das frases (eufonia) deve ser tomada por princípio para orientar toda a composição. Por isto é importante que o autor, se puder, após terminar sua redação, a leia falando. Ao ouvir o que ele mesmo escreveu, isto o ajudará a identificar sonoridades desagradáveis como, por exemplo, as cacofonias - encontros de palavras que formam um som desagradável ou um sentido indesejável (por exemplo, "a boca dela", "fé demais", "fé de menos", etc.)
A concisão é o emprego exato da linguagem adequada, o uso das palavras exatas e necessárias. É preciso evitar palavras e expressões desnecessárias. O uso de um único vocábulo sem necessidade pode fazer toda a redação perder sua qualidade. Também se deve evitar o exagero de concisão. Tanto o exagero como a total ausência desse item e a excessiva repetição de uma mesma idéia ou de palavras tornam o texto cansativo e de difícil compreensão para o leitor. 
Esclarecidos esses aspectos, podemos agora nos referir aos tipos de redação. Existem basicamente três formas: a literária, a científica e a comercial ou oficial.

Dentro da forma literária, vários tipos de redação

O objetivo da forma literária é expressar as idéias artisticamente. Dizem que "a literatura é a arte da palavra". Portanto, na redação literária, a palavra assume aspectos eminentemente estéticos, porém sem perder a facilidade da compreensão de seu significado. 
Isto quer dizer que o texto literário visa a expressão artística, da qual decorre a diferença em relação à linguagem técnica ou comercial. São formas literárias uma carta comum, uma crônica, a descrição de uma cidade ou um bairro, a descrição do estilo de vida de um povo, um conto, uma novela, etc. Mesmo que o autor do texto não seja um escritor profissional, ele utiliza a forma literária como manejo artístico do que busca informar ao leitor.
A descrição é a representação verbal de um lugar, uma situação, um fato ou um objeto quando o autor procura destacar os traços mais particulares ou peculiares ao tema. Na descrição de uma cidade, por exemplo, ele procura destacar o estilo arquitetônico dominante, o estilo de vida dos habitantes, o número de habitantes, o comportamento comum das pessoas em suas ruas, as condições higiênicas em seus bairros, etc.  
Outro tipo de redação ainda relacionado à forma literária é a narração. "Narrar" é contar uma história (verdadeira ou fictícia). Ou seja, "narrar" significa dar uma interpretação de ação sobre o que está sendo contado. Neste caso, considera-se o que o autor narra, com quem o fato (verdadeiro ou ficcional) aconteceu e como, onde,  quando e por que aconteceu. A redação jornalística - isto é, a notícia - é uma narração sobre um fato real. O conto é um exemplo de narração ficcional.

A seguir: "A forma de redação científica".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!