Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

É preciso ter cuidado com as "'Dicas' de Português" nas redes sociais.

Nem todas as "dicas"
postadas nas redes 
são corretas.
Algumas são, 
mas confundem mais do que ajudam. 


Um dos muitos exemplos de postagens que não deveriam ser feitas é uma que vi hoje no Facebook, com dicas a respeito do uso dos "porquês". Um dos erros é exatamente este: a palavra "porquê" não tem forma plural. Portanto, a forma correta seria "dos 'porquê'". A postagem também explica que usa-se "por que" em perguntas, "porque" em respostas, "por quê" em final de frase e "porquê" como substantivo. Além da explicação não estar tão correta (precisa esclarecer alguns detalhes importantes), não contém exemplos, e o uso de exemplos é sempre a melhor forma de esclarecer informações em casos assim.
Observe os exemplos abaixo para verificar como o entendimento se torna mais fácil.
- Por que o comércio não funcionará amanhã?
- O comércio não funcionará amanhã. Por quê?
- O comércio não funcionará porque amanhã será feriado. 
- Eu ainda não sei o porquê de tudo isto.
- Eu ainda não sei o por que de tudo isto.

Observe que, nos dois últimos exemplos acima, usei "porquê" por ser um substantivo e "por que", pois esse substantivo tem a mesma função do "por que" da pergunta. Portanto, as duas formas neste caso estão corretas. Observe também, no exemplo abaixo, um caso em que se usa o "porque" sem que seja uma resposta a uma pergunta, mas por ser uma informação com uma justificação.

- Não há ônibus no trânsito da cidade porque os motoristas do transporte público estão em greve.
 
Isto quer dizer que não devemos confiar nas "dicas" sobre gramática publicadas na Internet? Não. Isto que dizer apenas que nem todas são confiáveis. Então, o que se deve fazer? Em caso de dúvida, se você é estudante, pergunte ao seu professor de língua portuguesa. Na internet, procure sites de professores nacionalmente conhecidos, como Pascuale Cipro Neto (clique aqui), Sérgio Nogueira (clique aqui). Verifique também os websites que eu recomendo numa das colunas laterais do blog.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!