Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

O Paradoxo

Imagens paradoxais.
"Paradoxo" é algo que ouvimos ou dizemos, vemos ou imaginamos, mas que parece não ter
um sentido lógico.








Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira, mas que na verdade gera uma contradição lógica. Pode ser também qualquer situação que contradiga o senso comum. Não é necessariamente algo falso, mas é o oposto do que pensamos ser verdadeiro. Sua identificação facilita muito os estudos em diversas áreas cientificas e na filosofia. 
Os primeiros usos da palavra "paradoxo" dos quais temos informações remontam  à Europa no início da Renascença (final do séxculo XIV). Sua origem vem do latim ("paradoxum"), mas também existem textos antigos em grego nos quais consta a palavra "paradoxon". Isto não é um paradoxo, já que sabemos que houve influência grega no latim durante um determinado período na história de Roma e da Grécia. 
"Paradoxal" é tudo que é relativo aos paradoxos. É tudo que é real mas está além da nossa capacidade de compreensão. Os médicos, por exemplo, chamam de "efeito paradoxal" qualquer efeito de um medicamento ou de um tratamento médico que seja contrário ao efeito esperado e sem uma explicação científica adequada. O consumo excessivo de bebida alcoólica também causa um efeito paradoxal: o indivíduo fica eufórico, quando se sabe que o álcool provoca depressão.
Portanto, "paradoxo" não é o mesmo que "contrário" ou "oposto", como se costuma ensinar equivocadamente até em algumas escolas. "Paradoxo" é aquilo que, mesmo sendo real, não podemos compreender e, por isto, também não podemos explicar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!