Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Acentos que Talvez Você não Conheça

Há tipos de acentos
pouco conhecidos
que precisam ser considerados.

Infelizmente, numa imensa maioria dos casos no Brasil, quando se trata de acentuação nas palavras, os professores de Língua Portuguesa ensinam aos alunos apenas dois tipos de acentos: os gráficos (agudo, circunflexo e crase) e os tônicos (que revelam as sílabas mais "fortes" na fala mas não aparecem na escrita). Há também outros tipos de acentos que precisam ser considerados. Para identificá-los basta pronunciar as palavras em que eles se encontram, mas não se deve confundi-los com acentos tônicos. Alguns autores de gramáticas os classificam como acentos afetivo e intelectual.
Ambos são considerados como tipos de acentos de insistência. São assim chamados porque, numa redação, embora não sejam representados graficamente, são percebidos pelo leitor por causa do contexto em que as palavras estão inseridas. Tome por exemplo a palavra "miserável". Há determinadas situações em que ela tem dois acentos. Um deles é o agudo, o qual aparece na grafia. O outro é afetivo ou emocional, que se destaca na sílaba "mi" quando a palavra está numa frase como esta:

- É uma situação de vida miserável. 

Neste caso a sílaba "mi" recebe um destaque semelhante ao da sílaba "rá". Graficamente, nos dois casos, a palavra tem apenas um acento. No segundo caso, porém, destaca-se também o emocional, mais conhecido entre os linguistas como "afetivo". É assim chamado por expressar um comentário sentimental.
Ocorre que nem sempre o realce sonoro de uma sílaba não considerada tônica aguça a sensibilidade de quem lê a redação. Às vezes é preciso usar um recurso para caracterizar uma noção contrastando-a com outra. Entra em cena, então, o acento intelectual. Observe os exemplos abaixo:

Tal medida foi arbitrária. 
Estes preços são abusivos.

Se o autor da redação quiser dar relevo aos significados das palavras "arbitrária" e "abusivos", tem que usá-las de modo a dar ao leitor a impressão de que as sílabas iniciais - "ar" e "a" - têm maior intensidade. É importante perceber que o acento intelectual difere do afetivo quanto às funções e quanto a certas particularidades fonéticas. O acento intelectual incide sempre sobre a primeira silaba da palavra, seja ela iniciada por uma vogal ou uma consoante. O afetivo incide na primeira sílaba somente quando a palavra é iniciada por uma letra consoante, mas recai na segunda sílaba se esta for iniciada por uma vogal. A principal semelhança entre ambos é que, para o leitor, eles ocorrem de forma sempre inesperada, e é principalmente isto que os difere dos acentos tônicos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!