Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

41 - Uma piada antiga que nos faz refletir

Por que dizemos que
alguém "se suicidou"
se o suicídio 
só pode ser praticado
contra quem o pratica? 

O aluno pergunta ao professor:
- Professor, uma pessoa pode ser punida pelo que não fez?
O professor responde:
- Ora, claro que não!
O aluno diz, então:
- Então não posso ser punido por não ter feito o dever de casa. 

Esta piada é velha, ingênua e é relembrada mitas vezes em shows humorísticos infantis na TV, mas traz em si uma coisa que deveria despertar as atenções de quem a ouve: as diferentes interpretações, por parte de quem as ouve, que podem ocorrer em relação às expressões que utilizamos no nosso dia a dia. Dizer que uma pessoa não pode ser punida pelo que não fez não é exatamente um erro, mas a ideia que desejamos transmitir com essa informação se torna mais explícita se nos expressarmos, por exemplo, da seguinte forma: "Não se pode punir uma pessoa por algo que não é de sua responsabilidade", ou "pelo que não foi causado por ela", ou ainda "pelo que foi feito por outra". 
Usamos muitas formas de nos expressarmos que, embora consideradas ou simplesmente aceitas como corretas, não somente podem ser interpretadas de forma diversa da que desejamos como também parecem não fazer sentido. Por exemplo, estamos muito acostumados a ouvir pessoas dizerem que alguém está correndo "risco de vida" quando na verdade a pessoa está prestes a morrer - ou seja, está correndo risco de morte. Se a pessoa estiver correndo risco de vida, na verdade isto significa que ela tem excelentes chances de permanecer viva, não de morrer. 
E quanto a "suicidar-se"? Qual é a função da partícula "-se" neste caso, se toda pessoa que comete suicídio só pode cometê-lo contra si mesma? A história nos ensina que Santos Dumont "se suicidou" após saber que aviões começavam a ser utilizados para bombardeios em guerras. Se ele "se matou". justifica-se o uso do pronome reflexivo "se" porque uma pessoa pode matar outra. Mas "suicidar" já é um verbo que significa "matar a si mesmo(a)". Entretanto, numa prova do vestibular ou de um concurso público, o candidato tem que escrever "a pessoa se suicidou..." porque, caso contrário, perderá pontos. 
Entretanto, a situação desse mesmo pronome possessivo é muito diferente numa frase como, por exemplo, "Alexandre, o Grande, referia-se a si mesmo como um rei muito poderoso." Poder-se ia dizer "Alexandre se referia como um rei muito poderoso", mas o uso da partícula "-se" acrescida por "a si mesmo" é uma redundância proposital simplesmente para dar maior ênfase ao que se quer transmitir através da frase. Enfim... Coisas da língua portuguesa.

2 comentários:

  1. Parabéns! O infoEnem, maior portal sobre o Enem na internet, iniciou em fevereiro uma série de publicações indicando aos seus leitores os melhores conteúdos do país. Seu blog foi classificado entre os 10 melhores do Brasil na categoria Redação.

    Confira: http://www.infoenem.com.br/os-10-melhores-sites-e-blogs-de-redacao-do-brasil/

    Caso interesse mostrar aos seus leitores a qualidade e a confiabilidade do seu espaço, que foi analisada e comprovada por toda nossa equipe, escreva-nos um email e lhe enviaremos o código HTML do selo desta classificação. É um selo discreto, mas que trás a importância, os acessos e a responsabilidade de ser considerado entre os melhores de toda a rede nacional.

    Nós do infoEnem, e principalmente nossos milhares de leitores mensais, agradecemos seus esforços que contribuem para uma internet rica e de bom conteúdo! Continuem assim, para que possamos continuar indicando esse belo espaço como fonte confiável de informação.
    Novamente nossos parabéns! Afinal, não é qualquer blog que pode ser considerado “Top 10” de todo o Brasil!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Mateus e toda a equipe do InfoEnem.
    É muito gratificante receber uma mensagem como esta, vinda de vocês. Agradeço pelo apoio, e com certeza lhes enviarei o e-mail. Vocês também poderão contar comigo sempre.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!