O site Collegezoom indicou várias postagens do Redafácil a seus visitantes. Veja a lista clicando no link "Site Collegezoom", logo abaixo, à direita da tela (na direção da sua esquerda).
Grato ao Collegezoom por esta honra.

domingo, 2 de janeiro de 2011

34 - "Presidente" ou "Presidenta"?

Em seu discurso durante a cerimônia de posse ontem, 
a presidente Dilma Rousseff se auto afirmou como "presidenta" do Brasil. 
Mas será que tal palavra é permitida pelas regras gramaticais. 

O professor de língua portuguesa e apresentador de TV Pasquale Cipro Neto diz que a terminação “ente” vem do latim e é comum nas línguas neolatinas como o português, o espanhol e o italiano. Tal indica o executor de uma ação, normalmente tornando a palavra invariável quanto ao gênero. Por isso, dizemos “o gerente” e “a gerente”, etc. É o que em português chamamos de substantivo de dois gêneros. Por esta razão a forma correta, a forma correta para nos referirmos a Dilma Rousseff é "a presidente". Alguns dicionários, como o Aurélio Buarque de Hollanda, consideram a forma "presidenta" como "aceitável" por ser muito utilizada popularmente e até mesmo em publicações oficiais, mas isto não significa que seja correta. 
É muito fácil eliminar a dúvida. Muitas pessoas afirmam que a palavra "presidente" se deve ao fato de as mulheres estarem, cada vez mais, conquistando cargos antes ocupados apenas por homens. Embora isto seja um fato, não deve ser visto como justificativa para desrespeitar as regras gramaticais. Demos lembrar que, no Brasil, recentemente foram adotadas mudanças nas regras ortográficas, mas as regras gramaticais continuam sendo as mesmas. Se numa empresa ou outro tipo de organização uma mulher é "presidente" e não "presidenta", "diretora presidente" e não "diretora presidenta", "superintendente" e não "superintendenta", "residente" e não "residenta", "vidente" e não "videnta", evidentemente uma chefe de Estado como Dilma Rousseff é "presidente", e não "presidenta". 

7 comentários:

  1. Na verdade ela não é nem presidente nem presidenta. é um POSTE!
    Desculpe..., não resisti.
    Visitando meu blog vc vai entender.
    Até...,

    ResponderExcluir
  2. OLá, Elói! Grato pela sua participação e pelo seu incentivo. Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog você fala com clareza as formas gramaticais.Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Célia, Elói e "Falcão Peregrino"!
    Sinto-me lisonjeado por vocês prestigiarem este blogue e agradeço pelo apoio e incentivo de vocês. Aproveito a oportunidade para convida-los a conhecer meu novo blogue, "Mercado Financeiro". Nele serão publicados artigos sobre as principais atividades financeiras (principalmente bancárias) que toda pessoa precisa saber. Sintam-se desde já bem vindos a ele também.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Joaquim Caetano - Goiânia13 de março de 2012 13:12

    Entendo que esta de querer chamar uma mulher Presidente é uma questão de machismo, o correto é o que se decorre da lógica gramatical, não do Paschoale, mas de uma lógica que leve em conta o raciocínio lógico gramatical. Ao meu ver o correto mesmo é a Presidenta!!! A lógica gramatical é ter o artigo "a" como final de nomes femininos. Veja o quanto a nossa lígua "A última flor do Lácio, inculta mas bela" é complicada, e uns complicam mais ainda. Jamais admito uma pessoa dizer "que nem ele ou ela", para se referir a uma comparação. O correto é dizer "como ele", para homens, e "igual ou idêntica a ela", para não dizer "como ela", que é um vício de linguagem. Isto porque os desavisados podem entender "como ela", se fosse "com moela" de galinha ou galináceos. Dizer "que nem ele ou ela", é o mesmo que dizer "que não ele ou ela", já que nem = não, uma negação. Assim, não há comparação, MAS UMA NEGAÇÃO!!! Vejam o quanto a língua portuguesa tem muitos contornos a ser entendidos, mas com lógica, notadamente a cartesiana.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Joaquim!
    A regra não é exclusiva da língua portuguesa, mas de vários idiomas oriundos do latim. Quando se trata de uma palavra terminada em "ente" que se relacione à permanência de uma condição apenas por um determinado período, pode-se usar o verbo "ser" com o mesmo significado de "estar". Eu posso dizer por exemplo, "Joaquim está presente ao acontecimento" ou "Maria está presente ao acontecimento". Posso dizer também "Joaquim é presente ao acontecimento" ou "maria é presente ao acontecimento. No entanto não posso dizer "Maria está - ou é - presenta." A palavra "presidente" está incluída na mesma classificação de palavras como "presente" ou "ausente", que não tem sua terminação modificada para "enta" por representarem uma condição periódica: Você pode estar ausente num local mas pode chegar a qualquer momento, ou pode estar presente e sair dali dentro de poucos minutos, horas ou mesmo dias. Um presidente - neste caso, o presidente da república - deixará o cargo ao completar quatro anos de exercício, ou oito se for reeleito, mas de qualquer forma está numa condição apenas periódica - isto é, temporária). Por isto a palavra "presidente", por star nas mesmas condições de "presente", "ausente", "evidente", "concorrente", etc., não pode ter sua terminação modificada.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!

Estudar não é apenas se preparar para provas.

"O Enem já está próximo. O que faço a partir de agora?" Frequentemente a estudantes fazendo perguntas como esta. Nos prog...