Translate

sábado, 18 de novembro de 2017

O BRICS Não é um Bloco Econômico

Estes são os blocos econômicos.
A forma correta
é "o BRICS",
não é 
"os BRICS".

Tanto nos concursos públicos como nos exames vestibulares, as provas de português incluem conhecimentos gerais. Além das questões sobre regras ortográficas e gramaticais, elas incluem interpretações de textos sobre economia, política e atualidades de diversas áreas. Isto obriga o candidato a estar a par de tudo que acontece nesses setores. É o que também pode ocorrer no que se refere às redações. Entre os temas sempre possíveis de serem exigidos estão os que se referem a blocos econômicos. Eis por que muitas pessoas – especialmente as que procuram empregos – precisam saber o que são, como se formam, qual a finalidade desses blocos.
Com frequência, através dos telenoticiários, repórteres costumam se referir ao BRICS como se este fosse um "bloco econômico". Não faça isto numa redação. Inicialmente, "BRICS" era a sigla para Brasil, Rússia, Índia e China, criada pela instituição financeira norte-americana Goldmam Sachs para identificar os cinco países de economia emergente que mais se destacaram no final dos anos 1990. A partir de 2011, o grupo passou a se chamar "BRICS" por causa da inclusão da África do Sul. 
Um bloco econômico é um grupo formado por países que se associam para estabelecer relações comerciais comuns entre si. Esta definição não está errada, mas está incompleta. Essa associação de países estabelecer relações comerciais entre eles tendo como principal objetivo a redução de tarifas alfandegárias para facilitar a introdução dos produtos fabricados em cada país (roupas, alimentos, veículos, material eletrônico, medicamentos, etc.) no mercado internacional. Para isto, é necessário que os países que integram o mesmo bloco econômico estejam situados numa mesma região e tenham fronteiras entre si. Este não é o caso do BRICS, grupo que conta, por exemplo, com o Brasil, que se situa na América do Sul; a China, país da Ásia, e a África do Sul, um país africano. Muitos jornalistas também cometem o erro de dizer "os BRICS". O "S" da sigla não representa um plural, foi colocado apenas para representar a África do Sul (em inglês, "Soulth Africa"). Embora inclua vários países, o BRICS é um grupo. Portanto, o artigo masculino ou feminino que preceder a sigla terá que estar sempre na forma singular.
O primeiro bloco econômico a ser organizado no mundo foi a Comunidade Econômica Européia (CEE). Sua fundação ocorreu em 1957.  Atualmente é conhecido como ”União Européia” (UE). Formado por 15 países da Europa Ocidental, o grupo recebeu o novo nome em 1991, quando foi assinado o tratado de Mastrich, que só entrou em vigor em 1993, ao ser firmado um acordo com a União Política e a União Monetária Econômica. Deste acordo resultou a criação do euro como unidade monetária única entre os países membros. Além da UE, destacam-se entre os blocos econômicos mais importantes a Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec) e o Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta). A Apec surgiu em 1993 com o objetivo de criar uma zona de livre comércio entre os seus 20 países membros (Austrália, Brunei, Canadá, Indonésia , Japão, Malásia, Nova Zelândia, Filipinas, Cingapura, Coréia do Sul, Tailândia, Estados Unidos, China, Hong Kong, Taiwan, México, Papua Nova Guiné, Chile, Peru, Federação Russa e Vietnã) até 2020. Apesar de Hong Kong não ser um país (pertence à China), participa do grupo de forma independente do governo chinês.
O Nafta iniciou suas atividades em 1988, quando os Estados Unidos e o Canadá decidiram integrar suas economias. Em 1993 recebeu a adesão do México. Em 1994, um tratado estabelecido entre os três governos entrou em vigor para eliminar totalmente as barreiras tarifárias entre eles num prazo de 15 anos. Isto contribuiu para o crescimento da circulação de mercadorias entre os três países, que chegou a 156% entre 1990 e 1999. Esse fato ajudou a economia mexicana a se colocar entre as 15 maiores do mundo.
O Brasil tem participações em várias associações internacionais. Uma das principais é o Mercado Comum do Cone Sul (Mercosul), que tem este nome porque os primeiros países membros formam a figura de um cone na extremidade sul do mapa da América do Sul. O bloco foi criado em 1991 com a união entre o Brasil, a Argentina e Uruguai. Em 1995, instalou-se a Área de Livre Comércio, que permitiu a circulação de 90% de todas as mercadorias produzidas nos três países com isenção total de tarifas de importação. O Chile solicitou sua admissão ao Mercosul em 2000, mas em dezembro do mesmo ano decidiu firmar uma cordo com os Estados Unidos e por isto seu pedido foi suspenso. Mesmo assim, permaneceu como membro associado, e o Panamá, o México e a Venezuela iniciaram negociações para assinar um acordo de comércio com o bloco.
Existem vários tipos de blocos econômicos. Todos têm as mesmas finalidades básicas: minimizar os problemas econômicos de cada país ou grupo de países e, ao mesmo tempo, facilitar a introdução de suas mercadorias no comércio internacional. Entretanto, existem basicamente três tipos de blocos econômicos:
  • Mercado Comum – o Mercosul é um exemplo deste tipo de bloco. Caracteriza-se por permitir a livre circulação de serviços, capitais e pessoas entre os países que participam do grupo.
  • União Aduaneira -  os blocos deste tipo abrem mercados internos de cada país membro aos demais participantes do mesmo bloco e regulamentam o comércio do bloco com nações de outras associações. O Mercosul também tem características como estas, sendo ao mesmo tempo um mercado comum e uma união aduaneira.
  • União Econômica e Monetária – A União Européia, que criou o euro, é um exemplo deste tipo de bloco. Tem as mesmas caracteristicas de um mercado comum, mas acrescenta a elas a adoção de uma política de desenvolvimento e o estabelecimento de uma moeda única.

Há também as Zonas de Livre Comércio. Estas são regiões onde se localizam países que têm fronteiras entre si mas se unem para para eliminar ou pelo menos reduzir as taxas alfandegárias incidentes sobre trocas de mercadorias entre os países do mesmo grupo.

        Nenhum comentário:

        Postar um comentário

        Obrigado pela sua participação!

        "Na atual conjuntura..."

        Afinal, o que é "conjuntura"? No Brasil, quando o assunto é política ou economia ou algum tipo de problema social, costum...