Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

39 - Colocação Pronominal - 1.ª Parte: A Próclise

A próclise, 
a ênclise e a mesóclise
integram um conjunto de regras
muito importantes para que uma redação
tenha um bom nível qualitativo:
a colocação pronominal.


Próclise, ênclise e mesóclise. Estas três palavras causam muitas preocupações entre as pessoas que pretendem participar de um exame vestibular ou um concurso público.  "Parecem nomes de filósofos gregos", disse-me um dia um amigo, brincando. Não são, evidentemente, nomes de pessoas, mas realmente são de origem grega, e seus significados estão relacionados às posições que os pronomes oblíquos átonos ocupam em relação ao verbo numa oração ou período. Na linguagem popular essas posições raramente são respeitadas, mas para uma boa redação, principalmente com finalidades formais, devem ser rigorosamente consideradas. 
Neste artigo, ater-me-ei (isto é uma mesóclise) aos principais pontos referentes à próclise. Nos próximos, referir-me-ei à ênclise e à mesóclise.
Como já está definido no parágrafo anterior, a colocação nominal é a posição que os pronomes pessoais oblíquos átonos ocupam numa oração ou frase em relação ao verbo a que se referem. Os pronomes são palavras cujos significados são apenas categoriais. Ou seja: são relacionados a determinados conceitos ou categorias. Por isto, a análise de um pronome isoladamente não nos permite identificar um significado específico e definitivo para ele. Esse significado dependerá do sentido que o autor do texto quer dar à frase e das outras palavras inseridas na mesma. Os pronomes oblíquos apresentam flexões que variam em relação ao número (singular ou plural), gênero (masculino ou feminino) e pessoa. Esta última é a principal flexão, porque define a pessoa no contexto. 
Os pronomes oblíquos átonos são aqueles com acentuação tônica fraca. Exemplos: me, te, o, a, lhe, nos, vos, los, as, las, lhes, etc. O "lhe" é o único pronome oblíquo átono que apresenta uma contração. Isto acontece porque resulta da união entre os pronomes "o" ou "a" e as preposições "para" ou "a". Por estar sempre na condição de acompanhante direto de uma preposição, é também um objeto indireto. Todos os demais pronomes oblíquos átonos são sempre objetos diretos. 
Próclise é um caso específico de colocação pronominal em que o pronome oblíquo átono é situado antes do verbo. Embora popularmente seja utilizada nas falas de forma generalizada, na escrita correta a próclise nunca deve ser utilizada no início de uma oração ou frase. Popularmente costuma-se dizer "Me faz este favor.", mas a forma correta é "Faça-me este favor."(*)
Outro exemplo?  Popularmente se diz: "Naquele lugar se trabalha o dia inteiro." Formas corretas: 
  1. Naquele lugar, trabalha-se o dia inteiro.
  2. Naquele lugar as pessoas trabalham o dia inteiro.

(*) Este é um exemplo de ênclise. 

No próximo artigo: Colocação Pronominal - 2.ª Parte: A Ênclise


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!