Caros leitores:

Constantemente faço modificações no Redafácil porque elas sempre são necessárias, inclusive para facilitar o acesso às postagens e a leitura. Suas opiniões e suas sugestões são muito importantes para mim. Vocês podem expô-las nos espaços para comentários abaixo das postagens.

Grato pela sua colaboração.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

29 - A linguagem machista nossa de cada dia

O machismo ainda é tão profundo na nossa cultura
que nós o praticamos mesmo até mesmo quando queremos combatê-lo.
Mesmo nas redações contra ele,
homens e mulheres o praticam sem perceberem.

Talvez a maior evidência de machismo na nossa cultura esteja na Bíblia. Há vários textos bíblicos que comprovam isto, mas logo no início, no Gênese, encontra-se a lenda de Adão e Eva - lenda, sim, evidentemente. Tal lenda diz que o primeiro homem, Adão, que foi feito de barro, necessitava de uma parceira. E Deus, que fez Adão, fêz Eva surgir a partir de uma costela do mesmo. Tal lenda tem o objetivo claro de tentar justificar por que a mulher deve ser submissa ao homem: se este não tivesse surgido do barro antes dela, não haveria a costela para que ela surgisse. Portanto as "filhas de Adão" (as mulheres), como forma de gratidão, devem ser sempre servidoras - para não dizer "servas" - e realizadoras de todas as vontades dos "filhos de Adão" (os homens). Uma lenda ridícula e claramente machista. 

"Todo homem nasce livre..." - e as mulheres?

"A Declaração dos Direitos Humanos, pelo menos na versão em português, diz que "todo homem nasce livre...". E a mulher, como fica nessa história? Certamente alguém dirá, "mas quando dizemos 'o homem', estamos na verdade nos referindo ao homem e à mulher". Isto apenas reforça a presença do machismo na linguagem, pois predomina o substantivo masculino. Então poderíamos dizer "Todo ser humano..." - ôpa, desculpem! Eu quis dizer: "Toda a humanidade (substantivo feminino) nasce livre..." Mas, espere aí! Agora prevalece o substantivo feminino. Os direitos não devem ser iguais? Já sei! o melhor mesmo é dizer "Todos nós nascemos livres..." - prevalece o substantivo masculino, mas pelo menos a palavra "nós" inclui todas as pessoas
A predominância masculina nem sempre proposital é muito comum nas redações. Dizem frequentemente que aquelas pinturas antigas encontradas em rochas e cavernas foram feitas por "homens pré históricos". Como podemos saber que as mulheres pré históricas não pintavam? Dizem também que a primeira grande invenção do homem foi a roda, mas quem nos garante que ela não foi pelo menos sugerida por uma mulher?
Nas seções de cartas de revistas e jornais, encontramos títulos como "Espaço do Leitor", "Cartas dos Leitores", "Opinião do Leitor", "O Leitor Pergunta", etc. Não são impedidas as participações das leitoras, mas o título quase sempre se refere aos leitores. Nos livros e nas aulas de história, sempre aprendemos sobre as "conquistas de grandes homens" - claro que sempre houve a participação das mulheres, mas elas raramente são citadas. 
Nos editais de concursos públicos, lê-se: "O candidato deverá apresentar documentos...", "O candidato deverá obter informações...", "O candidato deverá dirigir-se ao...", "Em caso de dúvidas, o candidato deverá...". E a candidata, o que deve fazer? As mesmas coisas que o candidato, é claro, mas no texto a referência predominante é ao sexo masculino, mesmo inconscientemente. Editoras sempre lançam coleções de livros com títulos como "Grandes Poetas" (nunca "Grandes Poetizas"), "Grandes Pensadores" (nunca "Pensadores e Pensadoras" ou "Pensadoras e Pensadores"), "Grandes Inventores" (alguém já ouviu falar de uma inventora, ou pode garantir que nunca houve uma?). Até mesmo algumas mulheres que criam poesias atualmente são chamadas de "poetas" - ou seja, o machismo é tão forte que baniram por conta própria a palavra "poetiza". 

"Atrás dos grandes homens" ou ANTES deles?

Canso-me de ler a famosa frase: "Atrás de um grande homem há sempre uma grande mulher." Quanta hipocrisia! Por que não dizer que grandes homens e grandes mulheres, ou grandes mulheres e grandes homens, estão sempre lado a lado? Se você, mulher, ou você que é homem mas defende os direitos das mulheres, ouvir um homem lhe dizer tal frase, diga-lhe que por trás de tudo que ele conquistou, veio a educação que lhe foi dada pela mãe e pelo pai (só para lembrar: costuma-se dizer "os pais"), e que ela, sendo a mãe, obviamente veio ao mundo ANTES - isto é, À FRENTE - dele.
Não há duvida de que, em sua luta por seus direitos, ao longo dos anos as mulheres obtiveram muitas conquistas. Entretanto, ainda há muito por conquistar, como se pode perceber até na nossa maneira de falar e de escrever - o que é lamentavelmente uma vergonha (substantivo feminino) para os homens. 

10 comentários:

  1. sinceramente,vc podia era aceitar JESUS e parar com essa babosera de machismo....todo mundo sabe disso amore.toda mulher deve segundo a biblia deve sim ser submissa ao homem,mas isso nao quer dizer q nao tem direito a nada nao.leia mais o livro de geneses,ou melhor leia a biblia toda e descubra o que DEUS faz em nossas vidas quando quando damos credito a sua palavra e nao fique por ai falando da palavra de DEUS sem ter tido o disernimento correto daquilo que está escrito nao.pois a palavra de DEUS e sagrada.fik COM DEUS.desculpe a grosseria ,mas nao me contive em ler algumas coisas orrendas nao.

    ResponderExcluir
  2. Desculpe, Gessikinha, mas é exatamente por acreditar em Deus que penso da forma como descrevi. A submissão da mulher é, na verdade, um grande pecado, se considerarmos que é da vontade de Deus que todos os seres humanos (homens, mulheres e crianças) sejam tratados em IGUAIS CONDIÇÕES DE RESPEITO E DE DIREITO, INDEPENDENTEMENTE DE RAÇA, DE RELIGIÃO E DE SEXO. Resta ainda o fato de que a Bíblia que se conhece hoje é bem diferente da Bíblia original, pois, como se sabe, foi, ao longo do tempo, extremamente modificada de acordo com a "conveniência" e vontade de seus "tradutores".
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Meu caro Predo Melcop, bom dia.
    Assim como eu expressei em meu texto as minhas opiniões, respeito o seu direito de expressar as suas. Entretanto, quando fala sobre o "devido conhecimento do assunto", permita-me dizer que realmente não me considero o maior conhecedor de regras da língua portuguesa do mundo, nem mesmo estou entre os maiores conhecedores. Apenas sou um profissional de comunicação social há anos, já recebi algumas menções honrosas por alguns textos publicados e em alguns concursos de redações, mas você, ao que me parece, também não é tão conhecedor quanto quer parecer, pois se fosse,saberia que exemplos como os que você deu ("o artista"/"a artista" e outros) não se incluem nos termos considerados por mim como "machistas" porque os, por serem comuns de dois gênenros, já são claramente definidos pelos artigos masculino e feminino (respectivamente, "o" e "a").
    Além disto, você cometeu um erro considerado grave ao escrever a seguinte frase: "Poderia se dizer simplesmente 'inventores e inventoras'...". Isto comprova que você não está tão preparado para uma boa redação quanto pensa que está, pois seu texto demonstra seu desconhecimento quanto a uma regra básica que é ensinada aos estudantes desde o ensino fundamental, que diz que a frase deveria ser iniciada assim: "Poder-se-ia dizer...". Ou poderia também escolher uma outra forma considerada correta: "Pode-se dizer...". Ou ainda, "Podemos dizer...".
    Quanto aos exemplos que citei como "machismo" de acordo com o meu ponto de vista, creio que ficou bem claro que, no meu texto, não defini esta posição como uma verdade, mas apenas como minha opinião, a qual inclusive reconheço que pode estar errada, mas é apenas minha opinião. Estabelecê-la como como algo certo seria muita arrogância de minha parte, pois considero o ato de estabelecer uma opinião pessoal como se fosse algo definitivamente correto uma comprovação de extrema arrogância.

    ResponderExcluir
  5. Como pode discutir sobre gramática escrevendo "poetisa" com Z?

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Olá, amigo(a)!

    Você deveria perceber que o que ocorreu neste caso não foi um erro de grafia, e sim um equívoco de digitação. Acontece com certa frequência pelo fato de a tecla do "z" estar abaixo da do "s".
    Por outro lado, o erro maio foi o que você cometeu. Você questionou o fato de eu estar falando em gramática e ter escrito uma palavra de forma errada. Acontece, meu caro, que a gramática é o conjunto de normas que visam dar sentido a mensagens através da escrita ou da fala. As regras que estabelecem como as palavras devem ser escritas fazem parte da ortografia. Aconselho-o a estudar mais sobre língua portuguesa até você aprender o que é gramática e o que ortografia e quais são as diferenças entre ambas.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Olá, amigo(a)!

    Você deveria perceber que o que ocorreu neste caso não foi um erro de grafia, e sim um equívoco de digitação. Acontece com certa frequência pelo fato de a tecla do "z" estar abaixo da do "s".
    Por outro lado, erro maior foi o que você cometeu. Você questionou o fato de eu estar falando em gramática e ter escrito uma palavra de forma errada. Acontece, meu caro, que a gramática é o conjunto de normas que visam dar sentido a mensagens através da escrita ou da fala. As regras que estabelecem como as palavras devem ser escritas fazem parte da ortografia. Aconselho-o a estudar mais sobre língua portuguesa até você aprender o que é gramática e o que ortografia e quais são as diferenças entre ambas.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. vc naum sabe o q diz ..Se naum fossemos noix mulhers nada seria de vcs homens!

    ResponderExcluir
  10. Minha cara, você não entendeu o que leu. Se tivesse entendido, teria percebido que estou defendendo os direitos das mulheres e combatendo o machismo.
    Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!